Corregedoria apura conduta de policiais em caso de médica espancada

Nesta quarta-feira (3), a20ª DP (Vila Isabel) ea Corregedoria da PMabriram procedimentos para apurar a condutasargento da Polícia Militar Luiz Eduardo dos Santos [...]

Corregedoria apura conduta de policiais em caso de médica espancada

Nesta quarta-feira (3), a20¬™ DP (Vila Isabel) ea Corregedoria da PMabriram procedimentos para apurar a condutasargento da Pol√≠cia Militar Luiz Eduardo dos Santos Salgueiro, de 43 anos, que foi identificado como um dossuspeitos de terem agredido a m√©dicaTicyanaD'Azambuja, no Graja√ļ, no √ļltimo s√°bado.

Ticyana, que √© m√©dica plantonista na linha de frente da luta conta a covid-19, foi brutalmente agredida ap√≥s tentar reclamar de barulhos em uma festa. Na ocasi√£o, como n√£o foi escutada pelo organizador da festa, ela danificou o carro do policial e acabou sofrendo agress√Ķes dos convidados da confraterniza√ß√£o.

Segundo informa√ß√Ķes do jornal 'Extra', o PM j√° foi ouvido no Batalh√£o de Pol√≠cia de Choque, no Est√°cio, onde √© lotado. A unidade e a Corregedoria da PM abriram procedimentos para apurar tamb√©m a conduta dos policiais que foram acionados para a ocorr√™ncia.

Abrigada na casa de parentes, a m√©dica de 35 anos, n√£o pretende voltar a morar no Graja√ļ, ap√≥s ter sido espancada por cinco frequentadores da "festa do corona", realizada numa casa vizinha à dela. "Depois da den√ļncia, estou com medo. Infelizmente vou ter que sair da minha casa. Seria imprudente continuar ali", desabafou.

Moradores do bairro realizaram nesta quarta (4) uma passeata para apoiarem Ticyana. A m√©dica foi procurada por integrantes da Comiss√£o de Direitos Humanos da Alerj, da Defensora P√ļblica do Estado e de profissionais como psic√≥logos e fisioterapeutas.