Bolsonaro promete anúncio de novo ministro da Educação nesta sexta

O presidente Jair Bolsonaro deve anunciar o novo ministro da Educação nesta sexta-feira (10). O cargo está vago desde a semana passada, quando a nomeação deCarlos Alberto [...]

Bolsonaro promete anúncio de novo ministro da Educação nesta sexta

O presidente Jair Bolsonaro deve anunciar o novo ministro da Educa√ß√£o nesta sexta-feira (10). O cargo est√° vago desde a semana passada, quando a nomea√ß√£o deCarlos Alberto Decotelli foi revogada, sem que ele tivesse tomado posse, depois de uma s√©rie deinconsist√™ncias curricularesterem vindo à tona. O perfil desejado pelo presidente √© de um pessoa "conciliadora" e que "promova o di√°logo".

"Temos que ter uma pessoa que promova o diálogo, o que não é fácil, com todas as esferas da educação. Essa é nossa vontade, ter uma pessoa lá [que seja] conciliadora", afirmou durante a live semanal, transmitida pelas redes sociais.

Segundo o presidente, ele manteve conversa com "cinco ou seis" candidatos, nos √ļltimos dias. "Ent√£o, a gente espera amanh√£ resolver essa quest√£o a√≠ do Minist√©rio da Educa√ß√£o, que √© um minist√©rio muito importante", acrescentou. O novo ministro da Educa√ß√£o ser√° o quarto no cargo desde o in√≠cio do governo, em 2019.

Vetos

Durante sua live semanal, Bolsonaro afirmou que n√£o h√° recursos dispon√≠veis para medidas preven√ß√£o à dissemina√ß√£o do novo coronav√≠rus voltadas à ind√≠genas, quilombolas, pescadores artesanais e comunidades tradicionais e que por isso vetou alguns dispositivos da Lei n¬ļ 14.021/2020, sancionada por ele ontem (8).

O texto cria o Plano Emergencial para Enfrentamento à Covid-19 nos Territ√≥rios Ind√≠genas, coordenado pela Uni√£o, para assegurar o acesso às a√ß√Ķes e aos servi√ßos de preven√ß√£o e tratamento de covid-19, com a participa√ß√£o efetiva dos povos ind√≠genas por meio de suas entidades representativas."Quando o Congresso apresenta um projeto e ele cria despesa para n√≥s, ele precisa dizer onde est√° a fonte de recursos. Tinha artigos que mandava eu fornecer EPIs [equipamentos de prote√ß√£o individual] para quilombolas, comunidades ind√≠genas, um mont√£o de categorias, vamos assim dizer, que n√£o tem recurso para isso. Agora, se eu sancionar, n√≥s temos a obriga√ß√£o de cumrprir. E, se n√£o tem recurso, vai arranjar dinheiro de onde? √Č uma lei completamente in√≥cua. Agora, se o Congresso quiser derrubar o veto, o Parlamento pode derrubar o veto. Se for o caso, a gente entra na Justi√ßa arguindo inconstitucionalidade ou inadequa√ß√£o financeira", afirmou.

Ao todo, o presidente da Rep√ļblica vetou 16 dispositivos da medida aprovada no Congresso Nacional no m√™s passado. Entre os trechos vetados est√° o que garantia o acesso à √°gua pot√°vel e distribui√ß√£o gratuita de materiais de higiene, de limpeza e de desinfec√ß√£o para as comunidades ind√≠genas. Pela nova lei, ser√° ofertado acompanhamento diferenciado nos casos de m√©dia e alta complexidade, nos centros urbanos, com a constru√ß√£o de hospitais de campanha nos munic√≠pios pr√≥ximos às aldeias, contrata√ß√£o emergencial de profissionais de sa√ļde e disponibiliza√ß√£o de ambul√Ęncias para transporte, seja fluvial, terrestre ou a√©reo.

O presidente, entretanto, vetou a oferta emergencial de leitos hospitalares e de unidade de terapia intensiva (UTI) aos indígenas e aquisição de ventiladores e de máquinas de oxigenação sanguínea.

Com informação: Agência Brasil