Voo com 2 milhões de doses de vacinas decola da Índia

Fonte: Reprodução/TV Brasil

Fonte: Reprodução/TV Brasil

Um avi√£o da companhia Emirates, com remessa de 2 milh√Ķes de doses da vacina Oxford/AstraZeneca contra covid-19 decolou na madrugada de hoje (22) de Mumbai, na √ćndia, e deve chegar a S√£o Paulo às 6h55 desta ter√ßa-feira.

A aeronave deixou a cidade indiana por volta das 10h30 da manh√£ (hor√°rio local), o que equivale a 2h da madrugada de hoje no hor√°rio de Bras√≠lia. A carga far√° escala em Dubai, nos Emirados Árabes, de onde decolar√° para S√£o Paulo às 22h40 (hor√°rio local) - 15h40 de hoje (hor√°rio de Bras√≠lia).

O voo chegar√° a S√£o Paulo amanh√£ de manh√£ e as vacinas seguir√£o para o Rio de Janeiro, onde ser√£o levadas para o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz).

As doses foram produzidas pelo Instituto Serum, parceiro da AstraZeneca na √ćndia e maior produtor mundial de vacinas. Mesmo prontas, as vacinas precisar√£o passar primeiro por Bio-Manguinhos para que possam ser rotuladas antes de serem distribu√≠das ao Programa Nacional de Imuniza√ß√Ķes.

A importa√ß√£o de doses prontas é uma estratégia paralela à produ√ß√£o de vacinas acertada entre a AstraZeneca e a Fiocruz. Para acelerar a disponibilidade de vacinas à popula√ß√£o, 2 milh√Ķes de doses j√° foram trazidas da √ćndia em janeiro e est√° previsto um total de 10 milh√Ķes de doses prontas a serem importadas. Além dos 2 milh√Ķes que chegam amanh√£ ao pa√≠s, mais 8 milh√Ķes est√£o previstas para os próximos dois meses.

Enquanto negocia a chegada das doses prontas, a Fiocruz trabalha na produ√ß√£o local das vacinas Oxford/AstraZeneca. Segundo o acordo com a farmac√™utica anglo-sueca, a Fiocruz vai produzir 100,4 milh√Ķes de doses de vacinas até julho, a partir de um ingrediente farmac√™utico ativo (IFA) importado. A primeira remessa desse insumo j√° chegou ao Bio-Manguinhos e o primeiro milh√£o de doses produzido na Fiocruz tem entrega prevista para o per√≠odo de 15 a 19 de mar√ßo.

De acordo com a funda√ß√£o, os dois primeiros lotes estar√£o liberados internamente nos próximos dias. Esses lotes s√£o destinados a testes para o estabelecimento dos par√Ęmetros de produ√ß√£o.

"Com esses resultados, a institui√ß√£o produzir√° os tr√™s lotes de valida√ß√£o, cuja documenta√ß√£o ser√° submetida à Ag√™ncia Nacional de Vigil√Ęncia Sanit√°ria (Anvisa). Esses lotes somar√£o cerca de 1 milh√£o de doses e seus resultados ser√£o enviados à Anvisa até meados de mar√ßo".

Também est√° em andamento na Fiocruz o processo de transfer√™ncia de tecnologia para a produ√ß√£o do IFA no Brasil, o que tornar√° a funda√ß√£o autossuficiente na produ√ß√£o das vacinas. A previs√£o é que as primeiras doses com IFA nacional sejam entregues ao Ministério da Sa√ļde em agosto, e, até o fim de 2021, seja poss√≠vel entregar 110 milh√Ķes de doses, elevando o total produzido no ano pela Fiocruz para 210,4 milh√Ķes.