Biden pede unidade e alerta sobre ameaça da China em discurso no Congresso

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Em declaração proferida no Congresso americano nesta quarta-feira (28), Joe Biden propôs um novo plano de 1,8 trilhão de dólares.

Ao falar sobre um nova elaboração de governo, Biden pediu a ajuda dos republicanos para trabalharem em conjunto com os democratas em questões que, nas palavras dele, são "controversas".

Na ocasião, afirmou que os Estados Unidos precisam fazer uma frente ampla à competição imposta pela China, alegando que o país asiático e outras nações "estão se aproximando rapidamente".

"Os Estados Unidos estão avançando e avançando, mas não podemos parar agora. Estamos competindo com a China e outros países para conquistar o século XXI", frisou Biden.

Os republicanos seguem resistindo em ajudá-lo a aprovar diversas leis no país, principalmente pautas que envolvem aumento de impostos, aborto, controle de armas e imigração.

Pedindo uma aproximação, ele acrescentou:

"Temos que desenvolver e dominar os produtos e tecnologias do futuro."

Biden, que se sente cada vez mais cercado, insiste em pedir ajuda dos republicanos em pautas "maleáveis", na visão dele. Enquanto discursava, os parlamentares opositores permaneceram assentados e em silêncio, enquanto os democratas vibravam sob fortes aplausos.

Por fim, ele voltou a fazer uma defesa ampla de taxação de empresas e de norte-americanos ricos para ajudar a financiar seu programa de 1,8 trilhão de dólares chamado "Plano da Família Americana".

"É hora da América corporativa e o 1% mais ricos dos americanos pagarem sua parcela justa – simplesmente pagar sua parcela justa", completou o democrata.