Igarapé transborda e destrói posto de imigrantes em Manaus

Foto: Divulgação - Nenhuma violação de direitos autorais pretendida

Foto: Divulgação - Nenhuma violação de direitos autorais pretendida

A base da Operação Acolhida, que funciona como um posto para imigrantes venezuelanos na Avenida Torquato Tapajós, zona Centro-Sul de Manaus, foi destruído, após um igarapé transbordar e devastar a estrutura do local, nesta segunda-feira (3). Três pessoas ficaram feridas.

Em um vídeo, que circula pelas redes sociais, equipamentos do posto de atendimento e triagem aparecem sendo arrastados pela água. O espaço fornece alimentação e abrigo em um refeitório e barracas individuais, além de disponibilizar vacinas e instalações sanitárias para a comunidade venezuelana, que podem ter sido comprometidos.

Nas imagens, um grupo de pessoas também enfrenta a força da água, buscando apoio de grades, enquanto os imigrantes se seguram na tenda da base para não serem levados pela água. O Exército Brasileiro coordena a base da operação com o apoio da Casa Civil.

O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil enviaram equipes para prestar socorro no local. Ao menos três pessoas sofreram ferimentos. Ainda não há informações sobre os danos.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o fato ocorreu devido ao transbordamento de um igarapé próximo ao posto, que derrubou um muro e invadiu o local. O terreno não possui drenagem para realizar o escoamento da água, o que causou os grandes prejuízos. O trânsito na avenida foi comprometido em ambos os sentidos.

O posto possui capacidade de atender 300 venezuelanos, incluindo crianças, na base da Operação Acolhida, uma estimativa de pessoas que sofreram com os momentos de terror.

Cheia histórica

A enchente é um dos indicativos que Manaus vive uma cheia história. A subida do rio deve bater recordes em 2021 e superar outras medidas registradas pelos órgãos responsáveis, acendendo um alerta para a população.

Casas suspensas, pontes de madeira construídas onde seriam ruas e prejuízos materiais é uma realidade para os próximos meses. A cota do Rio Negro na capital amazonense pode chegar a 30,05 m nos próximos dias, ultrapassando a maior cheia da história de Manaus, registrada em 2012, quando a cota do rio atingiu 29,97 m.

As estimativas foram divulgadas durante segundo alerta de cheia do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), na manhã desta sexta-feira (30). De acordo com dados divulgados pelo CPRM, a previsão é que a cota mínima seja de 29,50 m, podendo variar entre 30,00 e a máxima de 30,05 metros.