Prefeitura realiza curso de Marinheiro Fluvial Auxiliar para profissionais que atuam em lanchas escolares

Foto: Divulgação | Nenhuma violação de direitos autorais pretendida.

Foto: Divulgação | Nenhuma violação de direitos autorais pretendida.

A Prefeitura de Manaus realizou, nesta segunda-feira, 26/7, o curso de Marinheiro Fluvial Auxiliar de Máquinas e Convés, para 30 profissionais que atuam nas lanchas escolares da Secretaria Municipal de Educação (Semed), que transportam alunos nos rios Negro e Amazonas. A formação é uma parceria entre a Divisão Distrital Zonal (DDZ) Rural e a Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC), por meio do Departamento de Ensino Profissional Marítimo (EPM) da instituição militar.

O curso ocorreu na escola municipal Maria Leide Amorim, localizada na comunidade São João, no quilômetro 4, da rodovia federal BR-174 (Manaus – Boa Vista), e segue até sexta-feira, 30, com aulas teóricas e práticas, entre marinharia, sobrevivência, combate a incêndio, navegação, motores, poluição ambiental, motores, sobrevivência e manobras.

Para a chefe da DDZ Rural da Semed, Rosa Denise Diniz Pereira, é fundamental que todos que trabalham com as lanchas escolares possam ter uma qualificação adequada, para atender da melhor forma possível todas as unidades de ensino da zona ribeirinha.

"O maior objetivo dessa formação é dar segurança aos nossos alunos da rede municipal de ensino. A gestão David Almeida contratou novos condutores e monitores, pensando na segurança dos nossos alunos. Com isso, nós vamos ter maior abrangência na zona ribeirinha, porque esse curso é voltado somente para os monitores e condutores, aliás, em especial para os monitores, porque os condutores já têm sua carteira", completou.

Formação

Lidiane da Silva Maia, que trabalha há 10 anos como monitora e atua na escola municipal São José, localizada na comunidade Nova Cesária (Paraná de Eva), no rio Amazonas, zona ribeirinha, afirmou que é uma chance única de adquirir mais conhecimentos sobre o trabalho que realiza.

"Estou muito feliz em participar porque estou adquirindo conhecimento. Com isso, posso garantir segurança para os alunos, principalmente os que estão iniciando na educação infantil, bem como ajudar o condutor da lancha, caso ele venha a adoecer ou faltar algum dia. Nesse sentido, eu posso fazer o trabalho dele junto com as crianças, levando segurança para eles e para mim também como monitora", disse.

O condutor Lucas Santos Rodrigues, da escola municipal Canaã, na comunidade Canaã, no rio Amazonas, que também trabalha há 10 anos na função, falou sobre a importância da formação.

"Com esse curso poderemos conduzir os alunos com mais segurança. Eu vou aprender mais, porque a gente sabe na prática, mas o curso vai mostrar mais coisas sobre a área em que realizo meu trabalho", pontuou

Avaliação

No encerramento do curso, os participantes passam por uma avaliação com mais de 40 questões teóricas. Para ser aprovado, o aluno terá que acertar pelo menos 60% das questões. Os aprovados, receberão a carteira de inscrição e registro da Capitania dos Portos.