Em Manaus, réveillon e Carnaval só acontecerão após 70% da população receber duas doses da vacina contra a Covid

Foto: Carolina Diniz | G1 AM - Nenhuma violação de direitos autorais pretendida

Foto: Carolina Diniz | G1 AM - Nenhuma violação de direitos autorais pretendida

A prefeitura de Manaus decidiu que grandes eventos, como Natal, réveillon, Carnaval, entre outros, só voltarão a ocorrer na cidade após 70% da população acima dos 18 anos receber as duas doses da vacina contra a COVID-19. A determinação é do prefeito David Almeida e está no Diário Oficial do Município desta segunda-feira (2). Ela também vale para eventos privados que gerem grande concentração de pessoas.

Além da orientação quanto a porcentagem de vacinados, a prefeitura também determinou que os eventos precisam ser autorizados pela Secretaria Municipal de Saúde da capital (Semsa). O órgão, inclusive, prevê protocolos sanitários e indicadores de acompanhamento da pandemia estabelecidos em conformidade com orientação técnica dada pela própria secretaria.

As autorizações para a realização dos eventos podem ser revistas ou canceladas, de acordo com a situação epidemiológica do município. Uma Comissão Especial de Organização de Eventos Festivos foi criada pela Prefeitura para analisar a possibilidade da realização dos eventos, mediante cumprimento dos requisitos do decreto municipal.

Segundo o vacinômetro da Prefeitura, até às 11h20min desta terça-feira (3), 338.811 pessoas já receberam a segunda dose da vacina e 25.003 receberam a dose única da Jansen. Somando os dois grupos, o total de pessoas que completaram o esquema vacinal na cidade é de 363.814.

Para a Prefeitura, o número de pessoas com a imunização completa é maior: cerca de 26%. Isso porque a Semsa considera apenas a população vacinável da cidade, ou seja, os grupos prioritários preestabelecidos pelo Ministério da Saúde ou de faixas etárias até 18 anos.

Independentemente da fórmula encontrada para chegar ao total de vacinados, Manaus ainda está longe dos 70% necessários para que os eventos que reúnem grandes públicos possam voltar a ser realizados.

É necessário também que as pessoas que estão atrasadas com a segunda dose da vacina voltem para receber o reforço do imunizante. Dados da Prefeitura mostram que até o domingo (1), mais de 20 mil pessoas estão com o esquema vacinal incompleto.