Após sofrer 9º aumento no ano, gasolina chega a R$ 5,99 em Manaus

Foto: Brayan Riker - Nenhuma violação de direitos autorais pretendida

Foto: Brayan Riker - Nenhuma violação de direitos autorais pretendida

E os motoristas de Manaus se surpreenderam ao se deparar com o preço da gasolina que chegou a R$5,99 nos postos de combustíveis nesta quinta-feira (19). O valor estava em R$5,79. A elevação no preço vem após a Petrobras anunciar, no último dia 11 de agosto, um aumento no preço médio por litro do combustível vendido às distribuidoras, subindo de R$2,69 para R$ 2,78.

Apenas em 2021, a gasolina já aumentou nove vezes. Com todas essas variações, o valor do litro da gasolina chega a R$ 6 em média no Amazonas. Só neste ano a gasolina acumula uma alta de 51% e a alta atual é de 27,5%, de acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A reportagem do Em Tempo foi em dois postos de combustíveis de Manaus e pode comprovar o novo valor. O posto localizado na rua Joaquim Nabuco e um outro na Avenida Brasil já estão com ajustes nos preços.

O aumento pesa no bolso de todo mundo, altera preço de transporte, alimentação, mas principalmente a rotina de quem trabalha com transporte de pessoas, como os motoristas de aplicativo, que precisam abastecer todos os dias.

O André Queiroz ganha seu sustento trabalhando como motorista de aplicativo. São as corridas que faz diariamente que levam a comida para sua casa. O aumento afetará diretamente na rotina e na quantidade de corridas que faz durante o dia.

''Como a gente trabalha com aplicativo isso é muito ruim, pois o preço da gasolina não está viável com os valores das corridas. Então, às vezes, você pega um passageiro apenas para pagar o combustível. Não temos lucro. Para mim, esse aumento das porcentagens é completamente abusivo."
André Queiroz, Motorista de aplicativo

O que mais deixa a psicóloga Luzijane Lima revoltada com a situação é o aumento repentino, sem justificativa, acordando pela manhã e se deparando com um elevado preço. O valor afeta diretamente no preço do orçamento de sua família.

"Esse é aumento que veio dificultar o orçamento familiar. A surpresa é sempre pela manhã, sem aviso prévio dos empresários de postos. O que resta é o usuário ter que pagar e aceitar de forma repentina. Isso acaba com nosso dia, é um absurdo", declara.

Por que mais um aumento?Em nota, a Petrobras afirmou que a alta acompanha "a elevação dos patamares internacionais de preços" e foi realizada "de forma a garantir que o mercado siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento".

O primeiro reajuste do ano foi dia 2 de janeiro quando o litro nas refinarias custava R$ 1,84. Desde o último reajuste, dia 12 de agosto, o valor parou para R$ 2,78. É importante ressaltar que estes valores são válidos para distribuidoras.

Para o consumidor final, a estatal destacou que até a gasolina chegar ao consumidor são acrescidos tributos federais e estaduais (39,1%); custos para aquisição e mistura obrigatória de etanol anidro (15,7%); além dos custos e margens das companhias distribuidoras e dos revendedores (12,2%).

Procon-AM se manifesta

Em suas redes sociais, o Diretor Presidente do Procon Amazonas, Jalil Fraxe, demonstrou revolta com mais um aumento. Ele relembrou que este é o nono aumento e que o preço vai afetar o orçamento do consumidor como uma bomba.

"Mais uma alta no preço do combustível, gasolina e etanol apresentam constantes reajustes na refinaria. Estamos no 9° aumento, segundo o IBGE, essa alta é de 27,5% na gasolina. Na prática, o impacto para o consumidor final é ainda maior. Preço bomba explode no orçamento do consumidor!", afirmou nas redes sociais.