Com sete condenações, julgamento do caso PM Portilho chega ao fim em Manaus

Foto: Divulgação TJAM

Foto: Divulgação TJAM

Sete pessoas foram condenadas pela morte do policial militar Paulo Sérgio Portilho, na madrugada desta sexta-feira (24), no Fórum Henoch Reis, na Zona Sul.

A sentença foi dada por volta das 2h, depois de mais de três dias de julgamento. No total, 10 pessoas foram julgadas pelo crime e 1, identificada como Marcos Neves Serra, que respondia em liberdade, não foi encontrada e por isso, deve ser julgada posteriormente.

Renata Lima e Rodolgo Barroso não compareceram ao julgamento. Os jurados absolveram os réus José Cleidson Weckner Rodrigues, Henrique da Silva e Silva e Alex Azevedo de Almeida.

Renata Lima da Silva foi condenada a 15 anos e quatro meses de prisão em regime fechado. Ela aguardava o julgamento em prisão domiciliar e poderá recorrer da sentença.

Felipe de Souza Santos foi condenado a 24 anos e seis meses de prisão em regime fechado.

Jeferson de Souza Farias foi condenado a 21 anos e seis meses de prisão em regime fechado.

Bruno Medeiros Mota foi condenado a 46 anos e dois meses de prisão em regime fechado.

Willian Paiva Cavalcante foi condenado a 22 anos de reclusão em regime fechado.

Rodolfo Barroso Martins não compareceu ao julgamento e foi condenado pelo crime de ocultação de cadáver em um ano e seis meses, e como respondia ao processo em liberdade, pode recorrer da sentença nessa condição.

Fábio Barbosa de Souza foi condenado a 39 anos e oito meses de prisão em regime fechado.

Os réus foram julgados pelos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver, corrupção de menores e tortura.