Gasolina sobe para R$ 6,29 em Manaus e castiga a população

Foto: Reprodução | Edmar Barros - Nenhuma violação de direitos autorais pretendida

Foto: Reprodução | Edmar Barros - Nenhuma violação de direitos autorais pretendida

A gasolina já está sendo vendida a R$ 6,29 em alguns postos de Manaus. O novo valor é mais um na escalada absurda de preços que o combustível vem sofrendo há meses. Segundo especialistas, principalmente com a desvalorização do real frente ao dólar por causa da crise econômica e da disputa global por derivados do petróleo. O diesel também subiu para R$ 5,09 e Etanol R$ 4,99, ambos na capital do Amazonas.

Desta vez, a alta está diretamente ligada a um reajuste de preços que a Petrobrás programou para este sábado (9). Segundo a empresa, "esses ajustes são importantes para garantir que o mercado siga sendo suprido em bases econômicas e sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros produtores, além da Petrobras".

A Petrobrás disse ainda, em nota, que 'segurou' o valor do gás de cozinha por 95 dias e dos combustíveis por 58, para que os brasileiros não fossem afetados imediatamente. "[...] a empresa evitou o repasse imediato para os preços internos da volatilidade externa causada por eventos conjunturais".

Repercussão

Na internet, amazonenses criticaram a alta dos preços imediata na capital. Um dos destaques foi o vereador Rodrigo Guedes (PSC-AM). O político é ex-titular do Procon Manaus e destacou que os postos de gasolina subiram o valor do combustível sem já terem comprado estoque da Petrobrás com a nova alta.

Outro comentário no Twitter diz respeito à rápida subida de preços no valor do combustível. O fotógrafo Edmar Barros chamou a atenção para o valor dos combustíveis no interior. "Certeza que em alguns lugares esse valor já chega perto de R$ 15", escreveu.

Valores na base

A partir deste sábado, o preço médio e venda do gás de cozinha, passa de R$ 3,60 para R$ 3,86 por kg, equivalente a R$ 50,15 por botijão de 13 kg, refletindo reajuste médio de R$ 0,26 por kg. Para a gasolina, o preço médio de venda para as distribuidoras, passa de R$ 2,78 para R$ 2,98 por litro, com reajuste médio de R$ 0,20 por litro.