Lula diz que Bolsonaro não serve nem para síndico

Foto: Reprodução /Veja

Foto: Reprodução /Veja

Em Brasília há uma semana, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conversou nesta sexta-feira (8) com jornalistas. Ao abrir o discurso, Lula disse ter profunda tristeza pela volta da fome e da inflação. O ex-mandatário do Executivo Nacional disse considerar que o país passa por um desmonte e que não tem símbolo de crescimento.

"Tudo que nós conquistamos está sendo destruído. Esse governo destruiu o respeito pelo salário mínimo, CLT e desmontou as indústrias. É com muita tristeza, num país de 250 milhões de habitantes, com a riqueza que nós temos, que vemos o retorno da fome. Temos riquezas de água, do meio ambiente, petróleo. Tudo isso não vale nada nas mãos de alguém que não se preparou para governar. Nas mãos de alguém que não conseguiria comandar um conjunto habitacional, se fosse síndico", disse Lula em entrevista coletiva.

Ao citar a prisão em Curitiba e absolvição na Justiça, Lula disse que não quer olhar para trás. "Faz um ano e 11 meses que saí da Polícia Federal. O que aconteceu comigo não faz parte do que quero para o Brasil daqui para frente", completou.