Pesquisa mostra que brasileiros apontam a economia como principal problema do país

Foto: Divulgação - Nenhuma violação de direitos autorais pretendida

Foto: Divulgação - Nenhuma violação de direitos autorais pretendida

Pesquisa Genial/Quaest divulgada nessa quarta-feira (3) aponta que 40% dos eleitores acreditam que a economia seja o principal problema do país. Esse número vem recuando desde maio, quando o tema era apontado como principal preocupação por metade dos entrevistados. Em junho, a taxa recuou para 44% e permaneceu igual em julho. Em três meses, a queda foi de dez pontos percentuais.

Além da economia, questões sociais apareceram na sequência, com 20%. Em junho, a preocupação era citada por 11%. Em julho, evoluiu para 17%. O aumento foi de nove pontos percentuais em dois meses. Na pesquisa desta quarta-feira, saúde e pandemia aparecem com 13%, seguidas por "outros", com 12%, e corrupção, com 8%. Violência registrou 3%, mesmo índice dos eleitores que não souberam ou não responderam à pergunta.

No recorte separado pela renda familiar, todos os grupos concordam que a economia é o principal problema do Brasil atualmente. Para os que recebem até dois salários mínimos, 40% citaram o tema; entre dois e cinco, 39%; mais de cinco salários mínimos; 42%. Dentro dos 40% que citaram "economia" como principal preocupação, 16% acreditam que o principal problema do país é a inflação, seguido por crise econômica (13%) e desemprego (11%).

No recorte de questões sociais, que somou 20% no geral, o principal problema apontado pelo eleitor é a fome e a miséria (16%), seguido por desigualdade (2%), pobreza e gente nas ruas (1%) e habitação e moradia (0%). Entre as pessoas que recebem até dois salários mínimos, o índice de fome e miséria chega a 21%, ficando em 13% no público entre dois e cinco salários mínimos e 12% entre quem recebe mais de cinco salários mínimos.

A pesquisa entrevistou 2.000 pessoas presencialmente entre os dias 28 e 31 de julho. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O registro da pesquisa junto ao TSE é BR-02546/2022, e o nível de confiança é de 95%.

As preferências por candidatos

Na pesquisa geral de intenção de votos, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ficou com 44%, contra 32% de Jair Bolsonaro (PL). Depois aparecem Ciro Gomes (PDT), com 5%; André Janones (Avante) e Simone Tebet (MDB), com 2%; e Pablo Marçal (Pros), com 1%. Os outros candidatos não pontuaram.

Lula é o escolhido entre os eleitores que consideram a economia ou questões sociais como o principal problema do país. Em ambos os públicos, o petista tem 44% dos votos, contra 31% de Bolsonaro. O presidente supera Lula em três recortes que os eleitores citam como maior problema do país: corrupção (49% a 31%), violência (49% a 28%) e outros (49% a 27%).

Segundo o CEO da Quaest, Felipe Nunes, economia e questões sociais vão concentrar o debate das eleições. "As pessoas querem que o presidente seja a solução para economia e questões sociais. E isso explica a vantagem que o ex-presidente Lula tem nas pesquisas nesse momento", disse em entrevista à CNN.

"Dá para ver com clareza que as agendas do eleitorado para cada um são diferentes. E o que o presidente Bolsonaro está tentando fazer nesse momento, inclusive com os auxílios, é tentar capturar para si um pouco da responsabilização, ou do crédito, por tentar resolver esses temas. Eles são mais relevantes na pesquisa, hoje, do que violência e corrupção, que aparecem mais abaixo",

complementou.


*Com informações da CNN